Cultura árabe é foco de editora no Piauí Imprimir E-mail
Escrito por Marcos Carrieri | Agência de Notícias Brasil-Árabe   
Qua, 30 de Setembro de 2015 08:31

São Paulo - Os países árabes, suas histórias e a presença da cultura árabe no Brasil são alguns dos principais temas dos livros editados pela Editora Zahle, de Teresina, no Piauí. A empresa foi criada há dez anos pela jornalista e historiadora Marta Tajra, descendente de libaneses.

“Nosso nicho são os temas que se relacionam à cultura árabe, o que não nos impede de publicar livros sobre outros temas. O Ocidente sempre teve uma grande atração pelo Oriente, mas ultimamente o Ocidente tem tido uma tendência de associar os países árabes ao terrorismo, o que não queremos passar adiante”, afirmou Tajra à ANBA na segunda-feira (28) em visita à Câmara de Comércio Árabe Brasileira, em São Paulo. “Nossa ideia não é editar e publicar uma grande quantidade de livros, mas sim livros que tenham qualidade”.

Alexandre Rocha/ANBA

Lorenzo e Marta afirmam que imigrantes no Piauí prosperaram no comércio

Entre as publicações mais recentes estão uma reedição de “Líbano - Um oásis no Oriente Médio” do historiador e diretor do Centro de Estudos e Cultura da América Latina da Universidade Saint-Esprit de Kaslik, Roberto Khatlab. Nesta edição, há mapas, fotos e registros históricos do país árabe. A obra terá lançamentos em Fortaleza, no Ceará, e em Recife, em Pernambuco, em outubro e em novembro, respectivamente.

Outro livro lançado no ano passado foi “A História do Comércio de Teresina no Desenvolvimento do Piauí”. Nesta obra, a historiadora incluiu capítulos que narram a história da imigração árabe ao nordeste brasileiro e a evolução do comércio em Teresina. “Recebemos um grande volume de imigrantes, que prosperaram sobretudo no comércio e no ramo industrial”, afirmou. Os descendentes de árabe se concentram nas cidades de Teresina e Floriano, a aproximadamente 235 quilômetros da capital piauiense.

Filho da jornalista e historiadora, o empresário Lorenzo Tajra, que também esteve na Câmara Árabe, afirmou que a comunidade árabe em Piauí está buscando retomar as tradições e o progresso que seus ascendentes obtiveram quando chegaram ao estado. “Os imigrantes chegaram ao Brasil e sentiram a necessidade de se agregar, de viver próximos, mas isso diminuiu nas gerações seguintes. Agora, os mais novos estão buscando recuperar essa cultura, a história, a gastronomia”, afirmou. “Nosso foco é atrair os países árabes, apresentar nossos principais produtos, como castanha e de caju e manga”, disse o empresário.

Marta e Lorenzo ficam em São Paulo até a próxima quarta-feira (30). Na cidade eles participarão de reuniões e discutirão projetos com empresários locais.