Balança comercial tem superávit em setembro Imprimir E-mail
Escrito por Redação | Agência de Notícias Brasil-Árabe   
Qui, 01 de Outubro de 2015 08:50

São Paulo - A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 2,944 bilhões em setembro e ampliou o saldo positivo do acumulado do ano para US$ 10,246 bilhões. Segundo os dados do período divulgados nesta quinta-feira (01) pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), as exportações foram menores do que no ano passado, no entanto as importações tiveram queda ainda maior, o que levou ao saldo positivo.

Em setembro, o Brasil exportou US$ 16,148 bilhões, uma queda de 13,8% em comparação com setembro do ano passado, pela média diária de embarques. Segundo o MDIC, caíram as vendas das três categorias de produtos: as vendas de básicos somaram US$ 7,163 bilhões e foram 19,6% menores do que em setembro de 2014. As remessas de semimanufaturados atingiram US$ 2,277 bilhões, com retração de 12,2% e as de manufaturados foram de US$ 6,33 bilhões, ou 4,6% menores.

Entre os básicos caíram principalmente, em valores, as vendas de minério de ferro, petróleo em bruto, algodão em bruto, fumo em folhas, minério de cobre, farelo de soja, carne suína, carne de frango e café em grãos. Entre os semimanufaturados, as quedas mais significativas foram registradas entre as remessas de açúcar em bruto, couros e peles, semimanufaturados de ferro/aço e ouro em forma semimanufaturada. Já entre os manufaturados caíram, sobretudo, os embarques de açúcar refinado, máquinas para terraplanagem, medicamentos, tubos flexíveis de ferro/aço e motores e geradores.

As exportações caíram para todos os destinos. As vendas ao Oriente Médio tiveram redução de 13,7% em comparação com setembro do ano passado, principalmente em razão de remessas menores, em valores, de carne de frango, milho em grão, minério de ferro, polímeros plásticos, açúcar refinado e fumo em folhas. Para a África, as exportações tiveram retração de 22,6%, resultado de embarques menores de açúcar, milho em grão, carne de frango, minério de ferro e tratores.

As importações, por sua vez, caíram ainda mais do que as exportações. Segundo o MDIC, elas somaram US$ 13,204 bilhões, ou 32,7% menos do que em setembro do ano passado. As importações de combustíveis e lubrificantes caíram 61,9%; as de bens de capital foram 27,4% menores; as de matérias-primas e intermediários se retraíram em 26%; e as de bens de consumo, em 23,4%. Entre as origens, as importações brasileiras a partir do Oriente Médio caíram 56,4% em razão, principalmente, de compras menores de ureia, polímeros plásticos, compostos heterocíclicos, querosene, óleos combustíveis e petróleo em bruto. As compras a partir da África caíram 59,5% devido a compras menores de petróleo em bruto, naftas e adubos e fertilizantes, principalmente.

No acumulado do ano, as exportações brasileiras somam US$ 144,495 bilhões e estão 16,3% menores do que entre janeiro e setembro de 2014. No mesmo período, as importações são de US$ 134,249 bilhões, com queda de 22,6%. A balança comercial brasileira acumula superávit. Em igual período do ano passado, o déficit era de US$ 742 milhões.