Transporte e logística são destaque em missão de embaixadores Imprimir E-mail
Escrito por Alexandre Rocha | Agência de Notícias Brasil-Árabe   
Sáb, 03 de Outubro de 2015 08:13

Recife – O Conselho dos Embaixadores Árabes no Brasil teve nesta sexta-feira (02) uma série de reuniões com representes do governo e empresários em Pernambuco. Entre os temas discutidos, destaque para o setor de transportes e logística, pois o estado tem infraestrutura portuária robusta e localização que favorece ligação marítima com o Norte da África, e os diplomatas defendem a criação de rotas de navegação diretas entre o Brasil e o mundo árabe.

Alexandre Rocha/ANBA

Porto de Suape tem movimentação recorde

Pela manhã, a delegação visitou o complexo industrial e portuário de Suape, próximo ao Recife. O CEO do porto, Bernardo D’Almeida, destacou que houve movimentação de volume recorde de cargas de janeiro a setembro deste ano, cerca de 13 milhões de toneladas, uma aumento de 37% em relação ao mesmo período de 2014. “Enquanto o Brasil está em crise, Suape está passando por um ‘boom’ em movimentação econômica”, destacou o executivo.

Ele disse que isso é resultado de um trabalho executado ao longo de vários governos. O porto é controlado pelo estado e tem terminais para escoamento de granéis sólidos e líquidos, carga geral e contêineres, além de indústrias de diferentes segmentos no entorno, incluindo dois estaleiros e a refinaria Abreu e Lima, da Petrobras.

“Temos tradição em granéis líquidos, mas há possibilidades para novas atividades”, disse D’Almeida. Entre elas, o executivo citou áreas do complexo industrial que reúnem indústrias de alimentos e bebidas, metal-mecânica e naval. A administração de Suape quer transformar o local num polo internacional dos setores de petróleo e gás e de construção de navios. Outros segmentos de interesse são os de petroquímicos, têxteis, minérios, automotivo, siderúrgico e de tecnologias da informação. “Estamos preparados para receber investimentos”, acrescentou.

O Coordenador de Relações Institucionais de Suape, Sílvio Leimig, ressaltou que recentemente o complexo recebeu a visita dos embaixadores do Senegal, Cabo Verde e da Mauritânia. O último, Abdellahi Kebd, também integra a delegação de diplomatas árabes que visita Pernambuco. O interesse é a criação de uma linha direta para a África. Kebd disse várias vezes que um cargueiro pode realizar a viagem entre o estado e seu país em apenas quatro dias.

Alexandre Rocha/ANBA

Navio em construção no estaleiro

“O estado é o mais próximo da África e seria bom se houvesse uma ligação direta com algum país do continente, como a Mauritânia”, reforçou o diretor-geral da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, Michel Alaby, que integra a delegação.

Ainda no complexo, os embaixadores visitaram o estaleiro Atlântico Sul, que constrói navios petroleiros para a Petrobras. O gestor de projetos Rodrigo Fanton informou que as operações começaram em 2007 e que a empresa tem em seu portfólio encomendas de 20 embarcações de grande porte a serem concluídas até 2020, sendo que seis já foram entregues.

A administração de Suape informou ainda que a construção de um segundo terminal de contêineres deverá ser licitada em 2016, e que nos dias 12 e 13 de novembro deste ano será realizado um fórum internacional para promoção de negócios no porto.

Rodadas

À tarde, no Recife, os diplomatas tiveram reuniões com empresários e representantes de órgãos estatais, e a questão da logística voltou à baila. Executivos do Porto do Recife, que fica na capital, Carlos Vilar e Joaquim de Andrade Silva, informaram, por exemplo, que também negociam uma parceria com Cabo Verde na tentativa de criar uma linha direta. O porto movimenta carga geral, especialmente granéis.

Alexandre Rocha/ANBA

Embaixador de Omã conversa com empresários

Eles conversaram com Kebd sobre a possibilidade de firmar um acordo de cooperação com o Porto de Nouakchott, capital da Mauritânia, para tentar estabelecer uma ligação direta.

O Porto do Recife já tem presença árabe em suas instalações. A operadora portuária Gulftainer, de Sharjah, nos Emirados Árabes Unidos, tem no local seu primeiro investimento nas Américas, estabelecido em 2011. Marcelo Graneros, gerente de desenvolvimento de negócios e sócio local do empreendimento, disse que a empresa começou com uma operação pequena, para avaliar o mercado, mas cogita ampliar sua atuação e está até de olho no processo licitatório do segundo terminal de contêineres de Suape. De acordo com ele, a companhia movimenta no Brasil cerca de 60 mil toneladas a cada três meses, principalmente bobinas de aço.

O embaixador da Tunísia, Sabri Bachtobji, por sua vez, ficou especialmente interessado em conversas que teve com o C.e.s.a.r, um centro de educação e de inovação voltado para tecnologias da informação e das comunicações, e com a Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper).

Alexandre Rocha/ANBA

Bachtobji (dir.) com executivos do C.e.s.a.r

“Pernambuco tem um polo de TI importante, conhecido, e podemos estabelecer contatos com instituições similares [ao C.e.s.a.r] na Tunísia ou fazer [programas de] educação por demanda. Eles podem ir para a Tunísia dar cursos”, declarou o diplomata. “O Ministério do Emprego [do país árabe] tem uma estratégia para dinamizar os centros de formação em TI que é muito importante. Vamos colocá-los em contato para ver o que é possível fazer”, acrescentou.

Victor Nogales e Flavia Nascimento, gerentes de negócios do centro, destacaram que já realizaram programas com o governo de Angola e que há interesse de intercâmbio também em Moçambique.

Bachtobji ressaltou ainda que a AD Diper faz um trabalho “inovador” para estimular investimentos no interior de Pernambuco, e que a Tunísia precisa fomentar o desenvolvimento de regiões menos favorecidas, principalmente para criar empregos para os jovens. “É uma boa oportunidade para formular uma agenda dinâmica e criar um modelo de desenvolvimento para regiões marginalizadas”, afirmou.

Alexandre Rocha/ANBA

Camila Lopes, da AD Diper, com Michel Alaby

Gerente de Inteligência de Mercados da AD Diper, Camila Lopes, explicou que a agência oferece incentivos para investimentos que incluem redução do Imposto sobre Serviços (ISS) e do Imposto sobre Propriedade Territorial Urbana (IPTU), isenção de taxas na esfera municipal e desconto no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMC) no âmbito estadual. O desconto aumenta conforme a localização, de 75% na região metropolitana do Recife, para 85% na zona da mata, 90% no agreste e 95% no sertão.

“A prioridade é levar desenvolvimento para o interior”, disse ela. Entre os setores prioritários estão os de petróleo e gás, indústria metal-mecânica, gesso, têxtil, frutas e vinhos.

Interessado em atrair investimentos externos, Francisco Cavalcanti de Petibru, da Cimento Pajeú, foi ao encontro para mostrar o modelo de negócios de sua empresa, de fábrica de cimento de pequeno porte instalada próxima ao mercado consumidor. “Estamos buscando investidores para replicar o negócio”, disse. Segundo ele, o modelo é bastante utilizado na Ásia e na África.

Carol Boxwell e Lilian Stupp, da Queiroz Galvão Desenvolvimento Imobiliário, foram mostrar empreendimentos de alto padrão da construtora no litoral Pernambucano. Com a valorização do dólar frente ao real, elas avaliam que é um bom momento para buscar compradores lá fora.

Alexandre Rocha/ANBA

O embaixador da Líbia fala com empresários

O embaixador da Mauritânia revelou ainda que conversou com empresários do ramo têxtil que se interessaram por eventuais investimentos em seu país, e o embaixador do Sudão, Ahmed Yousif Mohamed, disse que recebeu empresários interessados em investir ou ter um negócio com um sócio local para explorar o mercado africano. Agronegócio e geração de energia são os principais interesses dos sudaneses.

Cúpula

Os diplomatas se reuniram ainda com os secretários estaduais de Desenvolvimento Econômico, Thiago Norões, e de Turismo, Felipe Carreras, e com operadores de turismo. O decano do conselho e embaixador da Palestina, Ibrahim Alzeben, pediu que o governo do estado envie representantes e incentive a participação de empresários pernambucanos na 4ª Cúpula América do Sul-Países Árabes (Aspa), que será realizada em novembro em Riad, na Arábia Saudita, e cujo fórum empresarial terá como tema principal transporte e logística.

Integram também a delegação de diplomatas os embaixadores de Omã, Khalid Al Jaradi, do Catar, Mohammed Al-Hayki, da Líbia, Khalid Dahan, da Liga Árabe, Nacer Alem, e o encarregado de negócios da embaixada do Marrocos, Mohamed Boulmani.