Dilma vai à Colômbia e assina acordo para exportar veículos Imprimir E-mail
Escrito por Andrea Jubé | Valor Econômico   
Sex, 09 de Outubro de 2015 08:10

Depois de adiar o compromisso em quatro dias por causa da crise política, a presidente Dilma Rousseff faz hoje a

primeira visita oficial à Colômbia, após a reeleição do presidente Juan Manuel Santos no ano passado. Dilma deve

anunciar acordos para incrementar a relação comercial com o país vizinho e reafirmar o apoio brasileiro à

negociação de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

A Colômbia é a terceira maior economia da América do Sul, mas é o sétimo parceiro comercial do Brasil no

continente. O principal acordo a ser anunciado facilita a exportação de veículos automotivos produzidos no

Brasil. O objetivo é zerar a tarifa de importação para uma cota de até 12 mil a 13 mil veículos ­ a alíquota em vigor

com a Colômbia é de 16%. A Anfavea (entidade que reúne as montadoras instaladas no Brasil) espera que o

governo feche com a Colômbia acordo semelhante ao firmado com o México, que elevou as exportações brasileiras

de automóveis em 50% neste ano.

Também poderá ser anunciado um acordo de facilitação de investimentos para proteção a investidores dos dois

países, além de um compromisso para que empresas brasileiras concorram em igualdade de condições nas

licitações para compras do governo colombiano.

Uma eventual aceleração do cronograma do acordo de livre comércio entre os dois países, que só entra em vigor

em 2018, não deve ser discutida nessa viagem. O Brasil argumenta que este prazo foi estipulado em 2005, quando

a realidade das trocas comerciais entre os dois países era outra. Nesses dez anos, a corrente de comércio bilateral

registrou crescimento de 165%.

Dilma vai reforçar o aval brasileiro à negociação de paz conduzida por Juan Manuel Santos com as Farc. A

presidente tenta fazer com que o Brasil atue com mais protagonismo na mediação dos conflitos na América do

Sul.

De acordo com o Itamaraty, a contribuição brasileira no processo de paz da Colômbia com as Farc deve se

materializar, entre outros aspectos, na transferência da tecnologia social do Programa de Aquisição de Alimentos

(PAA).