Com exportação de açúcar, MS reativa terminal de Porto Murtinho Imprimir E-mail
Escrito por Redação | G1   
Sex, 09 de Outubro de 2015 08:17

Com atividades totalmente suspensas desde 2010, o governo do estado deve reativar no dia 20 de outubro o terminal portuário no rio Paraguai da cidade de Porto Murtinho, a 408 quilômetros de Campo Grande, na região sudoeste de Mato Grosso do Sul.

O primeiro embarque, segundo o secretário estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, será de 6 mil toneladas de açúcar, de um total de 20 mil toneladas do produto que deverão ser exportadas pelo terminal nesta retomada de atividades.

Verruck destacou que a reativação do porto é estratégica dentro do macro projeto do governo do estado de melhorar a competitividade logística de Mato Grosso do Sul. “Sempre fomos muito competitivos na produção, seja na indústria ou no agronegócio, mas perdíamos essa competitividade no escoamento da produção. Por isso, o governo do estado está fazendo um grande esforço para melhorar a nossa infraestrutura”, apontou.

Armazém do terminal portuário de Porto Murtinho, no sudoeste de Mato Grosso do Sul (Foto: Divulgação/Semade)

Armazém do terminal portuário de Porto Murtinho, no sudoeste de Mato Grosso do Sul (Foto: Divulgação/Semade)

O secretário ressaltou que dentro desse projeto, o governo está investindo para melhorar as estradas vicinais, em outra frente trabalha para a retomada dos investimentos na malha ferroviária e no modal hidroviário, articula para o retorno das operações na hidrovia Paraná-Tietê e que ampliar o uso da hidrovia do rio Paraguai.

“Dentro deste projeto, o porto de Porto Murtinho é muito importante, porque possibilitará o acesso ao Paraguai e aos portos argentinos e depois ao oceano Pacífico”, ressaltou lembrando que o modal hidroviário é o que oferece o menor custo na comparação com o rodoviário e o ferroviário.

Essa diferença de custo varia, conforme o tipo de estudo de comparação feito, o produto, a distância e outros fatores, mas oscila de 20% a até 65%, na relação entre o uso da rodovia e o da hidrovia.

Para retomar as atividades no terminal de Porto Murtinho, Verruck diz que o governo deixou lado a questão jurídica, em que uma ação civil pública tramita na Justiça desde 2004 questionando concessões de licitação, e fez um acordo com o atual gestor do terminal. “A ação continua tramitando normalmente. O que fizemos foi tomar a decisão de voltar a operar com o terminal enquanto o processo corre. Para isso, a atual gestão do porto concordou em investir R$ 1 milhão em algumas obras pontuais para retomarmos as operações tanto de exportação quanto de importação”, explicou.

O secretário disse que após vistoria a estrutura, análise apontou que o terminal tem atualmente condições de escoar anualmente 300 mil toneladas de produtos. “Vamos reativá-lo agora, mas com a expectativa de que seja muito utilizado para escoar nossas próxima safra de grãos. Em um segundo momento queremos que essa capacidade de escoamento seja ampliada para algo entre 800 mil toneladas e 1 milhão de toneladas e que empresas possam aproveitar a ampla área que existe no entorno para se instalarem”, revelou.

Terminal portuário de Porto Murtinho tem capacidade para escoar até 300 mil toneladas de produtos por ano (Foto: Divulgação/Semade)

Terminal portuário de Porto Murtinho tem capacidade para escoar até 300 mil toneladas de produtos por ano (Foto: Divulgação/Semade)

Verruck também adiantou que no próximo dia 20, quando o terminal será reativado que o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) deve assinar um decreto que cria uma zona especial para o terminal de Porto Murtinho que assegura incentivos tanto para a exportação quanto para a importação de produtos pelo porto.