TESES E DISSERTAÇÕES
Estratégia de offshoring em subsidiárias de corporações multinacionais no Brasil. Imprimir E-mail

Paulo Roberto Gião
Tese (Doutorado em Administração) - Universidade de São Paulo
Orientador: Moacir de Miranda Oliveira Junior
Ano: 2011

Este trabalho procura contribuir para o entendimento do fenômeno do outsourcing, por meio de survey com 172 subsidiárias de multinacionais instaladas no Brasil dos mais variados setores da economia. Com base nisso, quatro conjuntos de hipóteses foram testadas a partir de respostas obtidas com a aplicação de um questionário via Internet, cobrindo os seguintes temas: (1) tipos de atividades (estratégicas ou não-estratégicas) que a subsidiária desenvolve no país; (2) se a terceirização faz parte do modelo de negócios adotado e que tipo de serviços a subsidiária contrata junto a terceiros; (3) percepção com relação à competitividade obtida pela subsidiária segundo os drivers encontrados, as ferramentas para decisão disponíveis e eventuais parcerias realizadas; e (4) percepção com relação ao risco de perda ou inibição interna de competências. Os resultados mostraram que as empresas realizam grande quantidade de atividades estratégicas, mas também terceirizam serviços estratégicos em complemento a suas operações e modelos de negócios. A competitividade é melhorada através do outsourcing de serviços, mas também existe o receio de risco de perda ou inibição de competências.

Palavras-chave: Multinacionais, subsidiárias, terceirização, outsourcing, competências, competitividade, survey

DOWNLOAD

 
Expatriação e gênero: um referencial para multinacionais brasileiras Imprimir E-mail

Eliana Gialain
Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade de São Paulo
Orientador: Maria Tereza Leme Fleury
Ano: 2011

Este estudo originou-se da motivação em se obter melhor compreensão quanto à influência do gênero nos processos de expatriação, especialmente em função da constatação de que a participação de mulheres em expatriações ainda é muito menor do que a dos homens, e em função da relevância que a gestão de expatriações passou a ter diante do desafio de internacionalização que empresas brasileiras. Optou-se pela realização de duas etapas de pesquisa. Na primeira etapa foi realizado um levantamento bibliográfico das principais pesquisas acadêmicas internacionais que relacionam gênero e processos de expatriação, além da análise de uma pesquisa brasileira sobre percepção de expatriados cujos dados puderam ser tratados a partir de um recorte de gênero. Na segunda etapa foi desenvolvido um estudo de caso na Vale. Para tanto, foram realizadas quinze entrevistas semiestruturadas com profissionais de RH e com expatriados e repatriados brasileiros, homens e mulheres, todos relacionados ao projeto da empresa em Moçambique, além da realização de análises documentais. Os resultados das duas etapas da pesquisa foram submetidos à análise de conteúdo, categorizados e comparados. O estudo de caso na Vale contribuiu para a identificação de processos, políticas e práticas de RH destinadas à gestão das expatriações, porém sem a indicação de tratamento específico para os casos de expatriações de mulheres.

Palavras-chave: Multinacionais, expatriação, gênero, política de recursos humanos, Vale, estudo de casos.

DOWNLOAD

 
Liderança globalmente responsável: a percepção dos executivos sobre as práticas existentes nas organizações brasileiras Imprimir E-mail

Luiz Gustavo Meneses Barreto
Dissertação (Mestrado em em Administração) - Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Orientador: Betania Tanure
Ano: 2011

O objetivo do presente estudo foi avaliar que valores e práticas compatíveis com uma liderança globalmente responsável se encontram presentes em executivos de grandes empresas brasileiras. Para isso, primeiramente, foi realizada uma caracterização do ambiente organizacional no século XXI, apontando alguns dos diversos conceitos de responsabilidade social, bem como as características de uma liderança globalmente responsável. Em seguida, é apresentada a importância do papel da educação de executivos em RSE, bem como a maneira que essa responsabilidade social tem se dado nas empresas brasileiras. A coleta de dados se deu por meio de um estudo de casos múltiplos, em que foram entrevistados quinze executivos de empresas brasileiras de médio e grande porte, no ano de 2010, além da análise de vários documentos empresariais. A análise dos dados permitiu concluir que existe uma distância muito grande entre discurso e prática na maioria das empresas investigadas, além de um parco entendimento do que seriam práticas globalmente responsáveis, existindo até mesmo uma de falta de interesse no assunto. As lideranças se mostram despreparadas em salientar os valores éticos como centrais nas suas ações, em praticar ações em contexto global e em ampliar o propósito das organizações no sentido de valorizar o ser humano, a sociedade e o meio ambiente, o que dificulta a implementação de qualquer medida efetiva de RSE.

Palavras-chave: Responsabilidade social empresarial, responsabilidade social corporativa, globalização, estudo de casos

DOWNLOAD

 
O processo de internacionalização de pequenas e médias empresas de perfumaria, cosméticos e higiene pessoal do estado do Paraná Imprimir E-mail

Maria Cecília Flores Cordeiro
Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Econômico) - Universidade Federal do Paraná
Orientador: Luiz Alberto Esteves
Ano: 2011

Este trabalho busca analisar a inserção de pequenas e médias empresas de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos do Estado do Paraná no mercado internacional. Para isso, são identificadas as características do comércio internacional e os condicionantes da inserção internacional de empresas; o perfil das empresas de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos do Paraná, quanto à sua localização, porte (tamanho das firmas e número de empregos), produção e vendas; analisa-se o desempenho das empresas paranaenses do setor no comércio internacional, através do índice de comércio intraindústrias e identificam-se as principais ferramentas existentes no Brasil que contribuem para que pequenas e médias empresas consigam se inserir no mercado global.

Palavras-chave: Comércio internacional, desempenho, indústria de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos, pequenas e médias empresas, PMEs

DOWNLOAD

 
Capacidade tecnológica em empresas internacionalizadas e não internacionalizadas do sistema setorial de inovação de software de Curitiba Imprimir E-mail

Andréa Torres Barros Batinga de Mendonça
Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade Federal do Paraná
Orientador: Sieglinde Kindl da Cunha
Ano: 2011

Esta dissertação teve por objetivo analisar como se diferenciam ou se assemelham as capacidades tecnológicas de empresas internacionalizadas e não internacionalizadas do sistema setorial de software de Curitiba. Foi realizada uma pesquisa qualitativa com estudo de casos múltiplos em três empresas do setor de software de Curitiba. É feita uma descrição da estrutura do sistema de inovação de software de Curitiba, a partir do Arranjo Produtivo Local (APL) de Software. Faz-se uma descrição do processo de internacionalização de cada empresa, caracterizando-as nos níveis estabelecidos de análise: pré-envolvimento, envolvimento passivo/ativo e envolvimento comprometido. Cada empresa é também classificada quanto ao nível de capacidade tecnológica (rotineiro, intermediário e inovador) em cada uma das três funções tecnológicas (engenharia de software, produtos/serviços e processos). Verificou-se que as empresas com melhores níveis de envolvimento com o mercado internacional também se encontram em um nível mais elevado de capacidade tecnológica.

Palavras-chave: Internacionalização, exportação, tecnologia, capacidade tecnológica, cluster, arranjo produtivo local, APL, software, estudo de casos

DOWNLOAD

 
Internacionalização dos bancos estatais brasileiros Imprimir E-mail

Elson Rodrigo de Souza Santos
Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Econômico) - Universidade Federal do Paraná
Orientador: Armando Dalla Costa
Ano: 2011

Na última década, dois bancos públicos brasileiros se destacam como líderes no processo de internacionalização das instituições financeiras nacionais: BNDES e Banco do Brasil. O primeiro atua como um banco de desenvolvimento que financia empreendimentos no exterior favoráveis à economia brasileira. O segundo encara a internacionalização como forma de atingir novos mercados e de se fortalecer como conglomerado financeiro. Os dois casos apresentam características diferentes devido à natureza institucional. Quando se compara a trajetória e estratégia do BNDES e do Banco do Brasil com congêneres de outros países é observável que os casos não são singulares. Os bancos de desenvolvimento de desenvolvimento de porte mundial tendem a apoiar a internacionalização da economia e empresas nacionais exercendo o poder financeiro do Estado a ponto de se aproximarem da lógica de funcionamento de banco de investimento privado. Por exemplo, o Banco de Desenvolvimento da China é um dos grandes financiadores da internacionalização da economia chinesa ou coreano KDB que pretende ser um dos 20 maiores bancos de investimento do mundo até 2020. Por outro lado, a visão de internacionalização do Banco do Brasil guarda semelhanças com a de outros grandes conglomerados financeiros brasileiros, como o Itaú/Unibanco e, em menor escala, o Bradesco.

Palavras-chave: Internacionalização, estratégia, indústria bancária, bancos públicos, estatais, BNDES, Banco do Brasil, estudo de casos

DOWNLOAD

 
Impacto das dimensões da imagem do país de origem na atitude dos consumidores: diferenças entre categorias de produto Imprimir E-mail

Camila Carvalho Costa
Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Orientador: Jorge Manoel Teixeira Carneiro
Ano: 2011

Apesar do grande número de pesquisas realizadas acerca do Efeito do País de Origem (CoO) sobre a atitude dos consumidores em relação aos produtos estrangeiros, este estudo se propõe a dar um passo adiante. Inicialmente foi seguida a recomendação de Roth e Diamantopoulos (2009) acerca da segregação do constructo Imagem de País (CoI) em duas dimensões: cognitiva, formada por aspectos geográficos e humanos; afetiva e conativa (por exemplo, a atitude do consumidor), que foi tratada como resultado das duas anteriores. Ademais, foi construído um modelo explicativo a ser testado com diferentes categorias de produtos: naturais, industrializados e hedônicos, com o objetivo de identificar a existência de efeitos diferenciados a partir das dimensões da Imagem de País em relação a cada uma das categorias de produto. Para tal, foi realizado um levantamento com consumidores franceses, através de um questionário on-line, com o intuito de avaliar os aspectos cognitivos e afetivos da imagem de dois países - Brasil e Alemanha - e a atitude em relação às três categorias de produtos estudadas. Foi utilizada a Modelagem de Equações Estruturais para estimar os parâmetros do modelo e os resultados empíricos corroboram as três hipóteses apresentadas.

Palavras-chave: país de origem, imagem, imagem de país, Brasil, Alemanha

DOWNLOAD

 
Empresas nascidas verdadeiramente globais: Um estudo de caso sobre empresas sem fronteiras Imprimir E-mail

Claudio Gomes Aldea
Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Orientador: Jorge Manoel Teixeira Carneiro
Ano: 2011

Enquanto, nas últimas três décadas, as empresas chamadas de Nascidas Globais (Born Globals) têm se destacado na literatura, outro fenômeno, também atrelado ao processo de internacionalização de empresas, parece estar ocorrendo, muito embora tenha sido pouco comentado. Trata-se das Empresas sem Fronteiras (ESF). Estas são as empresas que verdadeiramente teriam nascido globais, assemelhando-se assim às Born Globals, porém, diferenciando delas porque, desde o momento em que foram concebidas, iniciaram suas atividades internacionais, sob um amplo escopo geográfico, psíquico e organizacional, possuindo indícios de cultivarem uma mentalidade global que as faz ver o mundo sem fronteiras. As nuances do processo de internacionalização de uma empresa classificada como sem fronteira foram analisadas por meio de um estudo de caso em profundidade. Da mesma forma, os fatores que tenderiam a levar a este padrão peculiar de internacionalização também são investigados no presente estudo.

Palavras-chave: born global, empresas sem fronteiras, empresas nascidas globais, estudo de caso

DOWNLOAD

 
Implicações estratégicas das alianças de cooperação tecnológica da Petrobras Imprimir E-mail

Luciano Felipe de Carvalho Rodrigues
Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Orientador: Teresia Diana Lewe van Aduard de Macedo Soares
Ano: 2011

Esta pesquisa foi motivada pela percepção de que embora a indústria de óleo e gás seja madura e intensiva em capital, observa-se um crescimento acelerado do estabelecimento de alianças com vistas à cooperação tecnológica. Sendo a expansão dos limites de atuação da indústria e a agregação de segurança e rentabilidade às operações os principais motivadores do estabelecimento destas alianças. Neste sentido, o objetivo do trabalho é contribuir aos estudos sobre a gestão das empresas e suas alianças focando nas suas implicações estratégicas globais. Para isso tem-se como estudo de caso uma das maiores empresas do setor – a Petrobras, tendo como foco exclusivo as alianças para cooperação tecnológica. Dada a relevância da pesquisa e desenvolvimento para a evolução do setor e a ausência de um estudo que delimite as implicações estratégicas deste tipo de alianças, a pesquisa visa suprir esta lacuna. Além disso, este estudo adaptou o arcabouço de analise estratégica relacional de Macedo-Soares (2011) para as alianças de cooperação tecnológica da Petrobras. Os resultados demonstram a relevância estratégica deste conjunto de alianças, no sentido de despertar oportunidades e mitigar ameaças no nível da indústria de óleo e gás.

Palavras-chave: alianças estratégicas, parcerias, óleo e gás, estudo de caso, Petrobras

DOWNLOAD

 
Estratégias adotadas na expansão internacional de empresas: O caso Natura Imprimir E-mail

Sabrina Weber Souto
Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Orientador: Angela Maria Cavalcanti da Rocha
Ano: 2011

Muitas empresas brasileiras, estimuladas tanto por fatores internos quanto externos, têm buscado a expansão internacional como forma de atingir novos mercados e reduzir os riscos de concentração em um único mercado, além de outros fatores. No entanto, a literatura sobre internacionalização de empresas de países emergentes é ainda bastante limitada, havendo espaço para novos estudos que se preocupem com o tema. O presente estudo teve por objetivo, então, analisar as estratégias empresariais adotadas para expansão internacional. A metodologia adotada foi o estudo de caso único, baseado em múltiplas fontes de evidências. A empresa selecionada foi a Natura, atuante no setor de perfumaria e cosméticos, que vem ampliando seu processo de internacionalização. O recorte da pesquisa é longitudinal, tendo-se estudado o desenvolvimento histórico da empresa e de seu processo de internacionalização, explorando-se as estratégias adotadas no decorrer do mesmo. A análise consistiu inicialmente na elaboração de um relatório do caso. Em seguida, foi realizada uma análise baseada nas questões que nortearam a pesquisa. Os resultados mostram que a internacionalização da empresa seguiu um processo de tentativa e erro, e que o aprendizado obtido nos estágios iniciais levou ao desenvolvimento de uma estratégia de internacionalização que serviu como guia nas etapas subsequentes do processo.

Palavras-chave: processo de internacionalização, estratégia internacional, estudo de caso, Natura

DOWNLOAD

 
A Influência dos recursos na internacionalização de empresas inseridas em clusters: uma pesquisa no setor vitivinícola no Brasil e na França. Imprimir E-mail

Aurora Carneiro Zen.
Tese (Doutorado em Administração) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
Orientador: Jaime Evaldo Fensterseifer.
Ano: 2010.

Esta pesquisa abrange dois estudos no setor vitivinícola, realizados no Brasil e na França de julho de 2009 a junho de 2010. O primeiro, de natureza qualitativa, consistiu de estudo de múltiplos casos em seis vinícolas com atuação internacional, sendo três francesas localizadas no cluster da Provence e três brasileiras situadas no cluster da Serra Gaúcha. O estudo quantitativo na França abrangeu 130 vinícolas localizadas em clusters diferentes (Languedoc, Provence, Vallée du Rhône e outros). No Brasil, a amostra foi formada por 18 vinícolas pertencentes ao cluster da Serra Gaúcha. No estudo qualitativo, as evidências confirmaram que os recursos compartilhados e desenvolvidos no âmbito do cluster podem influenciar a internacionalização das vinícolas. Nos casos brasileiros destacou-se o recurso “relações de cooperação horizontais”, enquanto nos casos franceses predominou a influência da “reputação da região”. Identificou-se a importância da governança do cluster no desenvolvimento e implementação de uma estratégia coletiva. O estudo quantitativo no Brasil apresenta uma análise estatística descritiva do processo de internacionalização das vinícolas exportadoras. Na França, além da análise descritiva, procedeu-se a uma análise fatorial dos recursos e ao teste de quatro hipóteses de pesquisa propostas. Constatou-se que as empresas localizadas em diferentes clusters apresentaram um desempenho exportador diferente, bem como identificou-se que os recursos do cluster ligados ao fator “terroir e instituições” são percebidos de maneira diferente pelas empresas pertencentes a clusters diferentes. Entretanto, rejeitou-se a hipótese de que empresas com desempenho exportador inferior perceberam os recursos do cluster como mais importantes do que os recursos singulares para a internacionalização da empresa. As empresas com menor tempo de atuação internacional consideram os recursos singulares mais importantes do que os recursos do cluster e vice-versa.

Palavras-chave: Internacionalização, recursos, cluster, vinhos, vitivinicultura, França, Brasil, Serra Gaúcha, casos, estatística.

DOWNLOAD

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 2 de 16