TESES E DISSERTAÇÕES
Internacionalização e performance de firmas brasileiras. Imprimir E-mail

Tiago Loncan.
Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
Orientador: Walter Meucci Nique.
Ano: 2010.

Este estudo analisou a relação entre o grau de internacionalização e a performance de empresas brasileiras. O grau de internacionalização foi medido pela variável FSTS (Foreign Sales over Total Sales ou vendas no exterior sobre vendas totais). A performance foi avaliada sob duas dimensões: performance contábil (retorno sobre o ativo; retorno sobre vendas) e performance de mercado (retorno das ações; valor de mercado). A relação entre grau de internacionalização e performance foi avaliada sob diversas formas, a partir de regressões simples, multivariadas e polinomiais (usando modelos de dados em painel e heteroscedasticidade-corrigida). Adicionalmente, foi investigada a relação entre o valor (força) da base de ativos intangíveis (medida pelo indicador Tobin’s Q) e o grau de internacionalização das companhias. Os resultados deste estudo sugerem associação positiva entre grau de internacionalização e performance para a amostra analisada. Foram explorados modelos lineares e polinomiais. Tanto os modelos lineares quanto polinomiais demonstraram relação positiva entre as variáveis. os modelos polinomiais quadráticos apresentaram os melhores ajustes, indicando que a relação entre grau de internacionalização e performance (contábil, medida pelo ROA; de mercado, medida pelo valor de mercado) apresenta o formato de uma curva em “U”, com retornos negativos no início do processo de Internacionalização, até um ponto de inflexão, a partir do qual a relação entre grau de internacionalização e performance passa a ser positiva. Os resultados também sugerem relação positiva entre o valor (força) da base de ativos intangíveis e o grau de internacionalização das firmas.

Palavra-chave: Internacionalização, desempenho, performance, grau de internacionalização

DOWNLOAD

 
Foreign activity effects on the capital structure of Brazilian companies during 2004-2008. Imprimir E-mail

Eduardo Hiramoto
Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas) - Fundação Getulio Vargas - SP .
Orientador: Richard Saito
Ano: 2010

As empresas brasileiras com atividades internacionais (MNC) possuem uma estrutura de capital diferente das empresas domésticas (DC)? Se sim, é válida a hipótese upstream-downstream, com empresas internacionalizadas utilizando mais dívida do que as empresas domésticas? A amostra consiste de 131 companhias no período 2004-2008, resultando em 538 observações. Os resultados do estudo mostram que as MNCs brasileiras utilizam mais dívida devido à atividade internacional, com 9,6% mais alavancagem, dos quais 5,8% são oriundos de fontes de longo prazo. Discute-se uma explicação alternativa para o maior uso de dívida pelas empresas internacionalizadas. Esta dissertação testa se existe um vínculo entre a atividade internacional e o financiamento com dívida estrangeira. O acesso à dívida estrangeira ajuda a explicar porque MNCs utilizam mais dívida do que DCs? Os resultados revelam que a atividade internacional está positivamente relacionada ao uso de dívida estrangeira, sendo que MNCs médias carregam 12,7% mais dívida estrangeira em sua estrutura de capital.

Palavras-chave: Multinacionais, internacionalização, Brasil, estrutura de capital.

DOWNLOAD

 
Análise dos fatores determinantes da internacionalização e desempenho financeiro das empresas brasileiras de capital aberto: a contribuição da visão baseada em recursos (RBV) Imprimir E-mail

Artur Henrique Fuentefria
Dissertação (Mestrado em Administração) - Fundação Universidade Regional de Blumenau.
Orientador: Mohamed Amal
Ano: 2010

Este estudo pesquisou a influência da performance econômico-financeira no desempenho exportador das empresas brasileiras de capital aberto à luz da Resource-based View (RBV). Foram pesquisadas 40 empresas de capital aberto exportadoras, em face da obrigatoriedade da divulgação pública dos seus resultados. A análise utilizou uma série histórica dos anos de 1995, 2000, 2005 e 2008. A escolha deu-se em função dos eventos que aconteceram nos períodos relacionados e que de certa forma influenciaram o comportamento da economia nacional e internacional, levando a inovações nas estratégias das empresas analisadas. Foram utilizados três modelos estatísticos: Modelo Painel, Mapa Fatorial e Árvore de Decisão. De modo geral, pode-se inferir que as empresas pesquisadas apresentaram influência do desempenho financeiro no desempenho exportador, confirmando o modelo desenvolvido neste estudo.

Palavras-chave: Desempenho exportador, indicadores econômico-financeiros, RBV.

DOWNLOAD

 
Inovação e desempenho exportador de empresas catarinenses: uma perspectiva institucional. Imprimir E-mail

Ilisangela Mais
Dissertação (Mestrado em Administração) - Fundação Universidade Regional de Blumenau.
Orientador: Mohamed Amal
Ano: 2010

O presente estudo foi conduzido com o objetivo de avaliar o impacto dos fatores institucionais e da inovação sobre o desempenho exportador das empresas, a partir do caso catarinense. Utilizando como referencial básico o conceito de North (1990) de que as instituições são as regras do jogo e, portanto, afetam os comportamentos dos indivíduos, entende-se que o quadro institucional de um país ajuda a determinar o estabelecimento de redes, o grau de empreendedorismo e de inovação, e a orientação para o mercado externo, que resultarão na seleção das estratégias de internacionalização e no desempenho exportador de suas empresas. A revisão da literatura ainda incluiu outros estudos sobre instituições, com destaque para o modelo de análise institucional proposto por Hollingsworth (2000). Foi realizada um levantamento com 71 empresas exportadoras de Santa Catarina, complementado por cinco estudo de casos. Foram identificados fatores positivamente correlacionados com desempenhos superiores nas atividades de exportação das empresas. A análise indicou que as variáveis que mais se relacionam com desempenhos superiores são a utilização de drawback e de recursos de ACC e ACE, juntamente com a qualidade do produto. O estudo de casos consolidou este resultado e permitiu identificar a percepção dos respondentes sobre o quadro institucional brasileiro e o impacto da inovação sobre os seus negócios.

Palavras-chave: exportação, desempenho exportador, Santa Catarina, survey, estudo de casos

DOWNLOAD

 
O processo de internacionalização de uma empresa brasileira: Estudo de caso da Pipeway Engenharia. Imprimir E-mail

Marcelo Presa Costa
Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.
Orientador: Marie Agnes Chauvel
Ano: 2010

O estudo analisa o processo de internacionalização da Pipeway Engenharia, uma empresa de base tecnológica do ramo de inspeção de dutos (óleo e gás), que iniciou suas atividades em 1998. A análise do estudo de caso foi realizada à luz das diversas teorias referentes ao processo de internacionalização de empresas. Faz-se uma breve análise do mercado de petróleo e das características do comprador organizacional. Os dados da empresa foram obtidos através de pesquisa documental e de quatro entrevistas com os principais sócios da empresa, que versaram sobre o processo de internacionalização (motivações, histórico, dificuldades encontradas, como foram superadas, situação atual). Como resultado final foi possível estabelecer uma cronologia no processo de internacionalização da Pipeway Engenharia, suas semelhanças e dissonâncias, enquadrando-a ao longo do tempo em diversas características das teorias de internacionalização apresentadas. Por fim, o estudo também identificou fortes indícios de que a Pipeway Engenharia pode ser classificada como uma empresa pertencente ao fenômeno Born Global.

Palavras-chave: internacionalização, petróleo, empresas de tecnologia, estudo de caso, Pipeway Engenharia, Born global

DOWNLOAD

 
A internacionalização da moda brasileira - o caso da Marisol S.A Imprimir E-mail

Alexandra Sanglard Torres
Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.
Orientador: Angela Maria Cavalcanti da Rocha
Ano: 2010

O estudo teve como objetivo contribuir para a compreensão das questões envolvidas no processo de internacionalização de uma empresa de moda por meio de canais exclusivos de varejo, ao investigar o caso da brasileira Marisol S.A., uma empresa que dispõe tanto de operações de fabricação quanto de operações varejistas. As estratégias de diferenciação requerem grandes investimentos em marketing nos mercados externos, com a mobilização de verbas significativas para propaganda, de forma a construir imagem de marca, o que é difícil para empresas brasileiras do setor, que, embora grandes no contexto brasileiro – como é o caso da Marisol –, são pequenas quando comparadas aos grandes conglomerados internacionais de moda. Sem imagem de marca, os fabricantes não conseguem colocar seus produtos nos canais tradicionais de distribuição, sendo então forçados a vender sob a marca de terceiros. O uso de canais exclusivos de varejo, como se verificou no caso da Marisol, diminui a dependência de canais de distribuição tradicionais, reduzindo, em decorrência, o risco de mudanças súbitas de mercado e concorrência que levem ao fechamento destes.

Palavras-chave: internacionalização, Marisol, caso, indústria de confecções, moda, canais exclusivos, lojas no exterior

DOWNLOAD

 
Internacionalização da P&D: avaliação dos impactos das atividades de P&D de subsidiárias estrangeiras localizadas no Brasil sobre o comércio exterior. Imprimir E-mail

Charles Bonani de Oliveira
Dissertação (Mestrado em Política Científica e Tecnológica) - Instituto de Geociências. Universidade Estadual de Campinas
Orientador: Sérgio Robles Reis de Queiroz
Ano: 2010

A questão que norteia o estudo é: Os investimentos estrangeiros em atividades de P&D promovem o comércio exterior dos países hospedeiros? O estudo se baseia em duas hipóteses: uma principal, para a qual os investimentos estrangeiros em P&D podem promover o saldo comercial em benefício do país hospedeiro; e outra que considera ter ocorrido evolução das atividades desenvolvidas pelas subsidiárias instaladas no país, que deixaram de realizar apenas adaptações de tecnologias desenvolvidas na matriz para executar atividades mais complexas, inserindo-se de forma mais intensa na estratégia da corporação. Inicialmente, buscou-se identificar e classificar os tipos de atividades desenvolvidas por subsidiárias de empresas estrangeiras instaladas no Brasil, utilizando como base dois modelos de inserção dessas unidades na estratégia global de P&D. Os resultados apontam para uma evolução das atividades tecnológicas desenvolvidas no país, com as subsidiárias executando atividades de maior complexidade e conectadas com a estratégia global de P&D. O estudo utilizou um modelo de dados em painel para avaliar os impactos que os investimentos estrangeiros exercem sobre o comércio exterior. Os resultados demonstram que os investimentos em atividades de inovação tecnológica promovem o comércio exterior, repercutindo positivamente sobre o saldo comercial do país, promovendo as exportações e gerando impactos negativos sobre as importações.

Palavras-chave: Multinacionais, subsidiárias, investimento direto estrangeiro, comércio exterior, P&D, tecnologia, transferência de tecnologia, gestão de P&D, países hospedeiros

DOWNLOAD

 
As políticas públicas de financiamento à exportação no Brasil (BNDES Exim e Proex): características e efeitos sobre as exportações das empresas industriais brasileiras. Imprimir E-mail

Jefferson Ricardo Galetti
Dissertação (Mestrado em Economia) - Instituto de Economia. Universidade Estadual de Campinas
Orientador: Célio Hiratuka
Ano: 2010

Este trabalho tem como objetivo analisar os resultados dos dois principais programas públicos de financiamento à exportação - BNDES Exim e Proex - no apoio aos exportadores industriais no período que se estende de 2000 a 2007. A análise se concentra em dois eixos principais, o acesso aos recursos dos programas pelas empresas exportadoras da indústria de transformação e a articulação da política de financiamento à exportação com as políticas industrial e tecnológica. Esta tarefa foi possibilitada pelo acesso à base de dados organizada pelo IPEA que reúne informações sobre as empresas exportadoras nacionais. Com os microdados foi possível elaborar um extensivo quadro com as características das empresas apoiadas em relação ao seu tamanho, quais os setores que receberam apoio e para quais países se destinaram as exportações apoiadas. Os programas públicos mostraram-se complementares aos recursos privados ao apoiar empresas de setores de maior criação de valor, no caso do BNDES Exim, e empresas de menor porte, no caso do Proex. A estrutura institucional dispersa de apoio à exportação brasileira foi cotejada com a existente em alguns países selecionados, que concentram em uma agência oficial de crédito à exportação os principais mecanismos de apoio ao comércio exterior, revelando algum distanciamento da estrutura de apoio nacional em relação à tendência mundial. Finalmente, uma análise econométrica mostrou resultados positivos dos programas públicos de financiamento sobre o desempenho exportador das empresas industriais brasileiras.

Palavras-chave: Exportação, financiamento à exportação, programas, BNDES, PROEX, indústria de transformação, Brasil

DOWNLOAD

 
Atividades do software no Brasil: dinâmica concorrencial, política industrial e desenvolvimento. Imprimir E-mail

Antonio Carlos Diegues Junior
Tese (Doutorado em Economia) - Instituto de Economia. Universidade Estadual de Campinas
Orientador: Paulo Sérgio Fracalanza
Ano: 2010

O objetivo desta tese é caracterizar as atividades brasileiras de software e analisar suas possibilidades de desenvolvimento. A linha de argumentação utilizada é a de que o exame das possibilidades de desenvolvimento das atividades brasileiras de software deve levar em consideração uma análise crítica dos condicionantes impostos pela configuração internacional destas atividades e, principalmente, da importância das políticas públicas como instrumento para o fortalecimento da dimensão interna dessas atividades e para a construção de uma inserção externa virtuosa, amparada na criação de assimetrias competitivas associadas ao aumento do porte das empresas locais, ao aprendizado tecnológico e ao aumento de suas capacidades inovativas. Neste cenário, concluiu-se que a continuidade e a potencialização da atual trajetória de desenvolvimento da Indústria Brasileira de Software e Serviços Relacionados (IBSS) deve ocorrer paralelamente à consolidação das empresas locais, ao incremento de seu porte e principalmente à busca de compatibilidade entre a formação de recursos humanos e a pujança apresentada por estas atividades. Apesar destas ressalvas, conclui-se também que a consolidação de uma base nacional forte se configura como uma vantagem competitiva da IBSS frente a outras indústrias de software de países periféricos no que diz respeito à capacidade de se fomentar uma inserção externa dinâmica e com um grau de autonomia financeira e tecnológica relativamente mais amplo. Mostra-se que a dimensão secundária das atividades de software no ano de 2007 tem uma dimensão equivalente a quase 70% da receita operacional líquida do setor de software e que tal dimensão concentra-se em empresas de grande porte e nos setores de serviços prestados às empresas, administração pública, comércio varejista, intermediação financeira, educação, comércio atacadista, correio e telecomunicações.

Palavras-chave: Capacidades, tecnologia, inovação, comércio internacional, software, Brasil

DOWNLOAD

 
Estratégia global e adaptação local no setor bancário brasileiro: uma análise da subsidiária brasileira do Citibank Imprimir E-mail

Itamar Pacheco da Silva
Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade de São Paulo
Orientador: Moacir de Miranda Oliveira Junior
Ano: 2010

Os Bancos, com o objetivo de atender (e reter) seus clientes ao redor do mundo, se internacionalizam, implantando subsidiárias em diferentes países que possuem regulamentações, culturas e hábitos muitas vezes distintos da matriz, aumentando assim a complexidade da gestão e dos papéis assumidos pelas subsidiárias e pela matriz. Neste contexto, estudou-se como o Citibank, uma das instituições bancárias mais internacionalizadas do mundo, equaciona a questão da adaptação de sua estratégia global às condições locais. Para tal, foi realizado um estudo de caso exploratório, com abordagem qualitativa. A análise permitiu explicitar a estratégia adotada, identificando que elementos foram adaptados ou padronizados e os motivadores para esta decisão. Constatou-se que o banco adotou diferentes estratégias para cada elemento, padronizando principalmente os elementos de orientação estratégica e o de recursos humanos, adaptando localmente os elementos de marketing e assumindo uma estratégia mista em operações e tecnologia. Adicionalmente, verificou-se que o papel estratégico assumido pela subsidiária brasileira pode ser considerado principalmente na América Latina como um líder estratégico.

Palavras-chave: Bancos, Estratégia organizacional, Internacionalização de empresas

DOWNLOAD

 
Abordagem do global sourcing nas subsidiárias de multinacionais no Brasil Imprimir E-mail

Carla Nomura Picchioni
Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade de São Paulo
Orientador: Moacir de Miranda Oliveira Junior
Ano: 2010

O objetivo principal foi entender a relação entre as principais dimensões de global sourcing empregadas por subsidiárias de corporações multinacionais estrangeiras instaladas no Brasil e as diretrizes estratégicas da matriz, de autonomia e integração, na relação com as subsidiárias. O estudo abordou as dimensões de propriedade e de localização. Na dimensão propriedade ainda pode ser subdividida em intrafirma, quando a compra tem origem de alguma unidade do sistema corporativo, da matriz ou de outras subsidiárias, ou inter-empresa, que tem como fonte de suprimento, fornecedor independente. Já a dimensão localização considera se o fornecimento é proveniente de fornecedores nacionais ou estrangeiros. Utilizou-se survey junto a uma população de 1200 empresas, com respostas de 181 subsidiárias brasileiras de empresas multinacionais de distintos segmentos, porte e origem. De modo geral, os resultados mostraram que a autonomia das subsidiárias relaciona-se com a compra proveniente de fornecedores externos, e que iniciativas de integração têm resultado em compras intrafirma, ou transferência de compras realizadas pela matriz.

Palavras-chave: Multinacionais, subsidiárias, cadeia de suprimentos, global sourcing, autonomia, integração, survey

DOWNLOAD

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 3 de 16